Confie em alguém que você acabou de conhecer

Para confiar ou não confiar? Quando eles nos apresentam a uma pessoa, tomamos essa decisão imediatamente? Quando devemos escolher uma opção ou outra?

quien es un verdadero amigo

Confie em alguém que você acabou de conhecer

Não confiar nas pessoas tem muitas consequências negativas. Você acaba se isolando do mundo e tendo uma atitude paranóica em relação aos outros. Contudo, confiar em alguém que você acabou de conhecer nem sempre é a escolha certa . Poderíamos trazer para nossa vida uma pessoa que não merece.



Confiar imediatamente em alguém que você mal conhece se tornou um grande problema. Principalmente pela facilidade com que novas pessoas podem ser atendidas por meio dos diversos meios oferecidos pelas novas tecnologias. Dentro mundo virtual , mais do que em qualquer outra dimensão, o outro é um completo estranho. Inclusive quando você nos fornece informações sobre ele.

Da mesma forma, no mundo real, laços íntimos com estranhos costumam se desenvolver em pouco tempo. Às vezes é o início de uma bela amizade ou mesmo de um relacionamento. Outros, pode ser o início de um pesadelo. A pergunta que devemos nos fazer é como saber quando podemos confiar em uma pessoa que acabamos de conhecer.

“A confiança é como a pressão arterial. É silencioso, vital para a saúde e se abusado pode ser fatal. '

-Frank Sonnenberg-

Mulheres olhando uma para a outra tomando café

O instinto não é tão confiável

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Nova York e Darkmouth, o cérebro leva apenas três segundos para decidir se uma pessoa é confiável ou não. É baseado em parâmetros puramente físicos. Se uma pessoa tem maçãs do rosto proeminentes e sobrancelhas altas, elas são consideradas mais confiáveis.

Essa dedução é elaborada a partir de uma área muito arcaica de nosso cérebro. Em tempos pré-históricos, um rosto com bochechas encovadas provavelmente significava fome e privação; e aqueles que estão com fome são considerados menos confiáveis. Este parâmetro não é mais válido no mundo de hoje, mas permaneceu armazenado em nosso cérebro.

He perdido las ganas de vivir

Também foi descoberto que as pessoas tendem a confiar naqueles que acabaram de conhecer se a pessoa em questão tiver alguma semelhança física com um conhecido. Este também é um 'método' fraco e muito enganador. O famoso instinto, portanto, tem inúmeras limitações. É impossível saber através intuição se uma pessoa é confiável ou não. Também é verdade, porém, que geralmente a experiência educa o instinto: não o livra dos erros, mas o faz cometer menos.

Confiar em alguém é o resultado de um processo, não da intuição

Uma coisa é ter boa fé, outra é dar as chaves da nossa vida a alguém que acabamos de conhecer. o Confiar em é algo que se constrói ao longo do tempo, não fruto de um momento.

Como regra geral, as pessoas com comportamentos extremos geralmente não inspiram confiança. Aqueles que imediatamente não nos dão nenhuma chance ou aqueles que parecem um livro aberto desde o início. E nem mesmo aqueles que demonstram excessivo interesse não condizente com a fase do relacionamento ou que se esforçam demais e de forma artificial para serem apreciados por nós.

É igualmente importante conhecer o ambiente de onde vem um indivíduo antes de iniciar um caminho que nos leva a confiar nele. Não basta ver e avaliar seu comportamento fora do contexto em que vive. É bom encontrar seus amigos, colegas de trabalho, familiares e todas as pessoas que mantêm um relacionamento permanente com ele. Isso nos oferecerá uma visão mais realista de quem somos.

Garotos sentados conversando com velas nas mãos

Confiar em alguém: os sinais a levar em consideração

Se você não tem certeza se pode confiar em alguém, observe seu comportamento o mais neutro possível. Este exercício de prudência e paciência nos fornecerá informações úteis que nos permitirão tomar a decisão certa. Nestes casos, considere o seguinte:

  • Os detalhes e as apreciações. Esses elementos são positivos quando vêm de alguém que já conhecemos e com quem temos um vínculo. Se vierem de um estranho, podem ser um meio de nos abordar ou nos manipular.
  • Eles confiam nos outros? Normalmente, as pessoas que confiam nos outros são mais confiáveis. Diz-se que “O lobo da má consciência como uma obra pensa”. O que vemos nos outros é uma projeção de nós mesmos. Preste muita atenção em como a pessoa julga os outros.
  • Atitudes encantadoras. Essa é a principal característica de muitos manipuladores e até psicopatas.
  • Contradições e intolerâncias. As pessoas costumam revelar muito sobre si mesmas quando confrontadas com frustração . Você deve ter muito cuidado como eles se comportam quando as coisas não acontecem de acordo com seus desejos.

Concluindo, duvidar de quem você mal conhece é um princípio sólido. É preferível contar com tempo para obter as informações certas. Se os resultados forem positivos, o relacionamento avançará e a confiança crescerá de forma mútua, consolidando o relacionamento.

Aprenda a acreditar no que está acontecendo

Aprenda a acreditar no que está acontecendo

Como confiar no que está acontecendo se sua realidade é cheia de medos, tensões e infelicidade? Tornando-se ciente disso


Bibliografia
  • Herreros Vázquez, F. (2004). Por que confiar? Maneiras de criar confiança social. Mexican Journal of Sociology, 66 (4), 605-626.