O inconsciente coletivo de Carl Jung

O inconsciente coletivo de Carl Jung

Sensações, pensamentos, memórias, rituais, mitos ... De acordo com a teoria do inconsciente coletivo de Carl Jung, existem elementos comuns compartilhados por toda a humanidade e que constituem uma espécie de herança psíquica. Estamos, portanto, perante um 'contentor' de significados que herdamos enquanto grupo social e que, segundo oInconsciente coletivopor Jung, teria um impacto em nosso comportamento e em nossas emoções.

A contribuição de Jung para o mundo de filosofia e psicologia desde o início do século XX . Essa mesma contribuição rompeu com a teoria psicanalítica e o distanciou ainda mais de Sigmund Freud. Se, para este último, o inconsciente era apenas a área da mente na qual todas as experiências que antes eram conscientes e depois reprimidas ou esquecidas são preservadas, Carl Jung foi além, superando o nível individual.

'O pêndulo da mente oscila entre o sentido e o absurdo, não entre o certo e o errado.'



-Carl Young-

O psiquiatra, psicólogo e ensaísta suíço não via o inconsciente como uma manifestação pessoal do indivíduo. Ao contrário, com base em sua prática clínica e experiência, ele sentiu uma espécie de consciência individual muito mais profundo. O inconsciente coletivo era visto como a noite cósmica ou o caos primordial de onde emergem os arquétipos e a herança psíquica compartilhada por toda a humanidade.

Poucas teorias foram tão controversas quanto a do inconsciente coletivo no mundo da psicologia. O pensamento de Jung constitui uma das primeiras tentativas de revelar os mecanismos que atuam abaixo do nosso inconsciente em nossos pensamentos e comportamentos.

Homem e fundo com aquarelas

Por que a teoria do inconsciente coletivo de Carl Jung é útil?

O próprio Carl Jung disse que a teoria do inconsciente coletivo dá a sensação de ser bizarra, embora seja uma ideia determinante. Basta mergulhar um pouco no assunto para encontrar elementos familiares e reais.

inteligencia emocional para la pareja

Estamos falando de um marco no pensamento de Jung que, ao mesmo tempo, causou muitos problemas ao psicanalista suíço. Como ele mesmo explica em seus livros, na verdade, passou boa parte de sua vida defendendo seu conceito de inconsciente daqueles que o criticavam por não lhe dar forma por meio método científico .

Bem, é normal perguntar em que exatamente consiste o inconsciente coletivo e qual é sua utilidade. Para entender em termos fáceis, podemos confiar em uma analogia. O inconsciente coletivo de Carl Jung é como um banco de dados herdado, uma nuvem de informações onde a essência da experiência da humanidade está armazenada e que todos possuímos dentro de nós.

Ao mesmo tempo, o inconsciente coletivo é formado por arquétipos, ou por fenômenos psíquicos como unidades de pensamento, imagens mentais e pensamentos que todos nós temos e que surgem instintivamente. Um exemplo é o maternidade e o significado que tem para nós, a pessoa e a imagem de nós mesmos que decidimos compartilhar com os outros, nossas sombras ou o que escolhemos esconder ou reprimir.

Carl Jung Inconsciente Coletivo

Arquétipos, emoções e objetivos da teoria de Carl Jung

Para responder à pergunta sobre a utilidade dessa teoria, é importante fazer a seguinte reflexão. O inconsciente coletivo de Carl Jung assume que nenhum de nós se desenvolve isolado e separado de sociedade . Somos engrenagens de uma máquina cultural, uma entidade sofisticada que nos transmite padrões e inculca significados que herdamos uns dos outros.

Entre os arquétipos mencionados estão também os modelos emocionais que todos possuímos. Quando viemos ao mundo, construímos um vínculo com nossas mães e, à medida que desenvolvemos nossa identidade, mostramos aos outros o que queremos que eles gostem, enquanto escondemos as coisas que queremos manter para nós mesmos.

A teoria de Carl Jung e sua proposta do inconsciente coletivo na verdade, reflete muitos de nossos instintos, nossos impulsos mais profundos como seres humanos : amor, medo, projeção social, sexo, sabedoria, bem e mal ... Um dos objetivos da psicóloga suíça era, portanto, fazer com que as pessoas construíssem um ego autêntico e saudável onde o conjunto de energias e alguns arquétipos estavam em harmonia.

Outro aspecto igualmente interessante sobre o inconsciente coletivo de Jung é que, como ele mesmo explicou, essa energia psíquica muda com o Tempo . Cada geração traz consigo variações culturais, sociológicas e ambientais. Tudo isso tem um impacto em nossa mente, o que cria novos arquétipos em nosso inconsciente.

Livro vermelho: como Carl Jung resgatou sua alma

Livro vermelho: como Carl Jung resgatou sua alma

Dizem que entre as páginas do Livro Vermelho de Carl Jung (ou Liber Novus) está a alquimia de uma mente que aspirava viajar ao submundo para redimir sua alma.