Múltiplas inteligências na sala de aula

Aplicar múltiplas inteligências em sala de aula é um desafio para o sistema educacional atual. A mudança é necessária para estimular o potencial único de cada criança.



Múltiplas inteligências na sala de aula

Levar em consideração a existência de múltiplas inteligências em sala de aula é o primeiro passo para definir uma escola mais interativa. Muitos dos modelos educacionais com que se trabalha atualmente tendem a limitar o potencial individual de cada aluno, dando-nos uma clara demonstração de que precisamos de um modelo alternativo, mais sensível, diferente e revolucionário.

O modelo de inteligências múltiplas foi divulgado por Howard Gardner , agora há mais de trinta anos. Mesmo assim, ainda hoje continuamos a elogiar suas ideias inovadoras e a considerá-las fonte de inspiração para ajudar no avanço na academia. Dizemos isso por um fato quase óbvio: o sistema de ensino é baseado principalmente em projetos pedagógicos tradicionais.





Sabemos que nem sempre é fácil responder à variedade de uma sala de aula quando um único professor tem que gerir muitos alunos. Não é fácil mesmo quando a comunidade educacional não se vê apoiada por órgãos políticos e às vezes sociais ou das famílias das crianças. Mesmo assim, há um fato difícil de ignorar.

A sociedade presente e futura está imersa em mudanças contínuas. Nossa modernidade não é apenas mais complexa, mas exige muito mais de nós. Se a escola não está em sintonia com a dinâmica que se passa nesse ecossistema de que falava Bronfenbrennel , formaremos pessoas mal preparadas, pouco capazes de ter sucesso e de promover o progresso com vistas ao futuro.



No futuro, seremos capazes de personalizar, adaptar a educação tanto quanto quisermos.

-Howard Gardener-

Perfis coloridos

Múltiplas inteligências em sala de aula, como treiná-las?

O modelo de Gardner parte de uma ideia: não existe uma inteligência única, cada pessoa possui uma grande variedade de habilidades cognitivas que as tornam únicas. É preciso dizer que essa teoria sempre foi criticada. Sobre isso, artigos como o postado pela página Psicologia Hoje eles nos lembram que a literatura que apóia essa teoria ainda apresenta lacunas.

Mas também deve ser dito que o mesmo Gardner afirmou várias vezes que mais do que um modelo teórico, o das inteligências múltiplas é um contexto que oferece uma perspectiva mais ampla no ensino, mais rico e, acima de tudo, mais interativo. É um ponto de referência que pode servir de inspiração para incentivar o potencial dos alunos , ensiná-los a pensar diferente, a descobrir suas habilidades e a usá-las a seu favor.

A esta altura, uma coisa da qual os professores sem dúvida estão cientes é que aplicar o modelo de inteligências múltiplas em sala de aula não é fácil. É necessário revisitar os modelos educacionais atuais; são necessários professores dedicados e docentes, que acompanhem o que é ensinado, para valorizar os objetivos curriculares alcançados.

Finalmente, é necessário um aprendizado significativo e que cada criança demonstre um progresso pequeno e estimulante. Vamos ver quais técnicas podem nos permitir aplicar a teoria das inteligências múltiplas em sala de aula.

Metodologias ativas

As metodologias ativas são adequadas para estimular a autonomia e a participação do aluno no processo de aprendizagem. Graças a eles, a criança torna-se cada vez mais protagonista da sua própria aprendizagem, deixa de ser um receptor passivo de conhecimentos e passa a ser geradora de conhecimentos, incluindo processos como criatividade, responsabilidade, trabalho em equipa, a curiosidade ...

Com esta nova perspectiva, os alunos podem tomar decisões, acompanhar a sua aprendizagem, reorientar as suas tarefas e mecanismos de aprendizagem de forma a atingir os objetivos pretendidos (sob a supervisão constante do professor).

en situaciones muy emocionales lo que se entiende en una comunicación es:

Ao mesmo tempo, essas metodologias devem sempre respeitar o plano oficial de estudos e seguir um projeto de avaliação acurado.

Professor em sala de aula

Unidades de ensino baseadas em projetos

A realização de projetos para a conclusão das unidades didáticas é outro mecanismo muito adequado para estimular as inteligências múltiplas em sala de aula. Além disso, são um recurso que exige certa criatividade por parte dos professores.

Desta forma, é estimulada a aquisição de novos conhecimentos, bem como o trabalho ativo, a curiosidade e permitir-lhe exercer diferentes inteligências em uníssono.

Devem ser projetos interessantes, que respeitem a heterogeneidade da turma , este estimular a motivação e que convidem o aluno a utilizar diferentes canais de aprendizagem (novas tecnologias, comunicação oral e escrita, procura de informação fora da escola, etc.).

Instruções sob medida

No que diz respeito à possibilidade de inclusão de um projeto sobre inteligências múltiplas em sala de aula, o empenho dos professores é fundamental antes de mais nada. Isso significa que, na medida do possível, a educação terá que ser personalizada. Consequentemente, o professor deve observar e adivinhar quais atividades são mais adequadas para cada aluno.

O aluno cinestésico, por exemplo, aprenderá melhor se o aprendizado se concentrar em tarefas que envolvem movimento. O aluno com inteligência linguística mostrará maior interesse pela leitura e escrita. Por isso é interessante ter um olhar habilidoso, capaz de valorizar o potencial de cada criança.

frases que tocan el alma

Porém, o fato de uma pessoa se destacar em uma inteligência (ou em mais de uma) não significa que as demais devam ser desprezadas. O treinamento baseado neste modelo terá como objetivo fortalecer sempre cada área cognitiva, cada processo envolvido em cada uma dessas inteligências.

Compreender como as inteligências múltiplas nascem (e se fortalecem) na sala de aula

Gardner, Feldman e Krechevsky (2000) afirmam que uma ou mais formas de inteligência podem entrar em ação em qualquer atividade realizada em sala de aula. Nesse sentido, se optarmos por um projeto de estudo das baleias azuis, poderemos fortalecer a inteligência naturalista, interpessoal (trabalho em grupo), linguística (ler material sobre o assunto) e até musical (ouvir o canto das baleias).

Múltiplas inteligências e tecnologia

Gardener aponta que inteligências múltiplas evoluem e aparecem ao longo de nosso ciclo de vida. Freqüentemente, eles até dependem de fatores como maturidade (como no caso da inteligência cinestésica do corpo). Todos esses são aspectos que os professores precisam entender, lembrar e manter em mente.

Concluímos apontando um fato evidente. Este modelo, sem dúvida, requer um maior uso de recursos, mais iniciativa e comprometimento por parte de todos os agentes sociais. Maximizar o ensino, tornando-o mais interativo e sensível às necessidades dos alunos é, sem dúvida, um objetivo importante. A escola do futuro exige acima de tudo um compromisso e responsabilidade sólidos .

Educar melhor: 6 conceitos-chave

Educar melhor: 6 conceitos-chave

Os pais parecem cada vez mais confusos sobre como educar melhor seus filhos. Porque? Qual a melhor forma de educar um menor?


Bibliografia