A tristeza não vai tomar conta da minha pessoa

Tristeza não é

Ainda hoje eu acordei e a tristeza chegou para me dizer bom dia . Às vezes não sei se é ansiedade, decepção ou espanto com o que está acontecendo ao meu redor. Não sei, mas às vezes me sinto triste. Hospedar essas sensações e deixá-las rolar dentro de mim às vezes é considerado um crime em uma sociedade que exige a felicidade como um imperativo da vida (e do consumo para obtê-la).

No entanto, eu entendo que há algo aléma tristeza. EU MESMO, aquele que o apoia . Existe EU, a pessoa capaz de saber se o que sinto se apodera da minha pessoa, da minha consciência de ser, de poder querer.

Mãe Não vou deixar a tristeza tomar conta de mim. Eu não vou fazer o que o meu me diz angústia , porque ele vive graças a mim , portanto, não pode ser mais forte do que eu. Vou continuar a lutar, mesmo que seja nas minhas entranhas, nas minhas têmporas ... Às vezes vou ouvir, se tem algo para me dizer, outras vezes simplesmente vou ignorar. Mas sempre vou decidir.



Me sinto triste e este sou eu também

Não são um jogo ganho a priori. Eles são um tabuleiro de xadrez no qual coexistem peças pretas e brancas. Sensações temporárias, que ocasionalmente hospedo, como se me guiassem os passos e ditassem tudo o que faço; mesmo se meu identidade sempre prevalece. Curiosamente, são esses sentimentos de tristeza que me ensinam algo. Recolho na minha solidão, com o silêncio gélido e ensurdecedor. Eu me escuto. Às vezes preciso me sentir assim para entender e crescer.

Menina anjo

Não tomarei nenhuma decisão em nome da tristeza, mas guardarei os ensinamentos desse sentimento para quando me sentir corajoso. A tristeza me ensinou tantas coisas e tão importantes que não quero eliminá-la ou fazê-la desaparecer.

Eu quero que surja em mim. Enquanto eu viver, quero hospedá-lo como um sentimento por si só. Eu não quero fingir, estuprar. Não quero golpes para mim sentimentos . Todos eles são válidos porque nascem de mim e se alimentam de mim. Sou importante para eles, sou o protagonista da sua existência e graças a eles existo.

Eu observo o que acontece, o que germina deles, dessa tristeza ... Se eu me levantar ou cair. No final, não me vejo mais como uma pessoa comum. É o momento de maior conexão com meu eu interior.

Quando eu experimento a tristeza como algo natural, o criatividade sai de meus bolsos, meus sapatos, minha aparência, meus suspiros. Quanto maior a dor, maior eu sou porque, pela primeira vez, é o sentimento e não as expectativas que me sustentam.

A tristeza não vai me impedir de lutar por meus valores

Meus credos são minha bússola. O resto é apenas a forma que encontro na paisagem. No caminho encontrarei gente que confundirá bondade com ingenuidade, sinceridade com impertinência e tristeza com fraqueza. Nada disso vai me impedir de alcançar meus objetivos, que por sua vez são um reflexo dos meus valores .

“Sinto-me bem e estou feliz; mas nos momentos mais felizes da minha vida devo sempre ter um motivo para tristeza, não posso evitá-lo. '

-Fedor Dostoiévski-

Tristeza

Todos os dias darei um passo adiante para alcançá-los. Em alguns dias, minha tristeza quase me impede de tocar o chão com os pés. Outros vão parecer um para mim andar leve. Às vezes, um passeio muito rápido e muito selvagem.

Porém, um dia percebi que às vezes, na mais pura alegria, a chegada de uma certa tristeza amplifica a vida, cria raízes que me dão o impulso de molhá-los, curá-los e fazê-los crescer. E daí surgem os mais belos jardins para cultivar.

O prazer inestimável de sorrir pelo que nos fez chorar

O prazer inestimável de sorrir pelo que nos fez chorar

O prazer inestimável de sorrir diante do que nos fazia chorar. O sorriso é sincero quando nos faz sentir em paz conosco mesmos.