A vida de Adele: as duas faces do amor

A vida de Adele: as duas faces de

Adele é uma adolescente em busca de seu lugar no mundo. Em plena efervescência juvenil, ele conhece Emma e sente um encanto até então desconhecido. Assim ele descobre seu primeiro amor. Com ele vêm os primeiros beijos, a paixão, as primeiras carícias, o compromisso, a convivência. Porém, com o tempo também começarão a haver as primeiras discussões, os primeiros passos da rotina e as primeiras complicações. Até a primeira separação irremediável: a primeira decepção amorosa.



O filme nos fala das duas faces do amor de uma forma tão real quanto Adele o faz quando come espaguete. Além de ser um filme sobre a diversidade sexual, é um hino à amor em todas as suas versões. Ao amor universal capaz do melhor e do pior.

Amar como motor da vida, como energia, impulso, fonte inesgotável de emoções e ações. Enquanto assiste ao filme, o amor é sentido, sentido no estômago, quase cheirado. As emoções saem da tela e se fixam na retina, fazendo-nos repetir o primeiro amor, revivendo, para melhor ou para pior, emoções adormecidas, talvez esquecidas.





Os personagens principais

Ambas as atrizes foram magistrais, com credibilidade durante toda a duração do filme. Seus cabelos, seu jeito de olhar, seus gestos. Ambos os protagonistas são bem interpretados a tal ponto que o espectador em determinado momento acredita estar vivenciando uma espécie de espionagem real, como quem vê a vida pelo olho mágico.

áreas del cerebro y funciones cognitivas



gárgola jorobada de notre dame

Adele e Emma olham uma para a outra

De um lado, a jovem Adele, com seu rabo de cavalo sempre improvisado e desgrenhado, inexperiente com vida , emocional, apaixonado, rude, sensual, inseguro e forte em partes iguais. Por outro lado, Emma, ​​com seu cabelo azul curto que parece nos falar sobre criatividade, originalidade, vida intelectual e culta, frieza, análise, tranquilidade e consistência.

Essas duas metades vão colidir, vão se fundir por um tempo, tingindo tudo de azul até que se separem novamente. Uma separação que deixa ao mesmo tempo uma consequência, uma marca, um sinal.

O que é o amor?

“O amor é uma das emoções mais intensas. As pessoas podem mentir, trapacear e ainda matar em seu nome e até desejar morrer quando o perderem. O amor pode oprimir qualquer pessoa, em qualquer idade. ' -Robert Sternberg-

Existe uma poderosa teoria psicológica que explica o amor, sua gênese, seus componentes e suas diferentes formas: a Teoria Triangular do Amor. No livro deleA triangulação do amor: intimidade, paixão e compromisso, Robert Sternberg afirma que, para falar de amor verdadeiro, três componentes devem vir juntos:

  • Intimidade: a necessidade de estar próximo um do outro, tanto física quanto emocionalmente.
  • Paixão: desejo sexual ou romântico intensificado.
  • Compromisso: vontade de manter o vínculo estabelecido com a outra pessoa e agir em nome do respeito.

Os três elementos aparecem no filme e podemos até vê-los em sequência . Primeiro, Adele sente a necessidade de encontrar Emma novamente, de vê-la novamente, de conhecê-la melhor. O desejo de intimidade começa a aparecer. Mais tarde, uma vez que cruzamos nossas fronteiras, vemos paixão, desejo sexual.

psicología enamorarse a los 50

Este ângulo é forte e notável no relacionamento e desempenhará um papel muito importante na decisão de formar um relacionamento casal . Vemos que com o compromisso aparecem as verdadeiras complicações e será sempre o canto que coloca em jogo a estabilidade da relação que mantém.

Segundo o mesmo autor, uma relação que combina os três elementos tem mais probabilidade de durar mais de um que une apenas dois ou um isolado. De acordo com Sternberg, existem 7 combinações possíveis que resultam em 7 tipos de amor:

cita de espiritualidad del día

  • Simpatia: intimidade
  • Amor romântico: intimidade + paixão
  • Paixão: paixão
  • Amor estúpido: paixão + compromisso
  • Amor vazio: compromisso
  • Amor-amizade: intimidade + compromisso
  • Amor vivido: intimidade + paixão + compromisso
triângulo-sternberg

O primeiro amor

Seguindo essa mesma lógica, podemos dizer que o o primeiro amor seria a primeira vez na vida de uma pessoa que ela experimentaria uma forma de amor entre os vistos anteriormente. É comum que, como no caso de Adele, isso aconteça na adolescência: é por isso que quando falamos do primeiro amor, costumamos situá-lo nesse período. Porém, nem sempre acontece nesta fase da vida: tem gente que fala de amores muito cedo e outros muito tarde.

Do ponto de vista da psicologia, parece que o o primeiro amor é amplamente determinado pelo tipo de vínculo que desenvolvemos durante o nosso mais terno infância com nossa primeira figura de apego (geralmente a mãe).

Por sua vez, o primeiro amor será crucial para os relacionamentos futuros que teremos. Nunca deixa de ser uma fonte inesgotável de novas experiências com as quais aprendemos muito, tanto o que queremos como o que não queremos.

A primeira falta de amor

“O amor é tão curto e o esquecimento é tão longo” -Pablo Neruda-

Na parte final, vemos uma Adele destruída pela dor e desolação pela perda de seu primeiro grande amor. Lindo e comovente o encontro deles algum tempo depois da separação, em que Emma lhe garante que não a ama mais, mas que sente uma ternura infinita por ela.

Adele chorando

Se voltarmos ao triângulo de Sternberg, podemos identificar essa ternura como o desejo de intimidade na ausência de paixão e compromisso. No entanto, apesar das palavras de Emma, ​​vemos que a paixão existe e está presente em ambos os lados. Acontece em muitos relacionamentos que terminam, onde persiste a paixão e o desejo sexual pelo outro.

Quando falamos da primeira falta de amor, referimo-nos à primeira grande decepção de amor, pela qual sofremos, nos deprimimos, aprendemos e crescemos. Se falamos de processos psicológicos, a primeira decepção no amor pode ser definida como um processo de luto e, portanto, existem algumas etapas que devem ser realizadas antes de aceitar a perda.

Curiosidade e conclusão

O filme é a adaptação de 'Blue is the hotest color', romance cômico de Julie Maroh , feito na gama de cores de azul. É por isso que tudo no filme também é impregnado de azul, desde os cabelos de Emma às roupas de Adele. Este tratamento de cores lembra um pouco a trilogia maravilhosaTrês cores ,em particularFilme azulcom Juliette Binoche,onde o azul não simboliza amor, mas liberdade.

No título original do filme em francês segue “Chapitres 1 e 2”, deixando a porta aberta para mais capítulos sobre o futuro desta jovem. Capítulos que aguardamos, não apenas para ver o que acontece na vida de Adele, mas também a evolução artística de Adèle Exarchopoulos, a atriz maravilhosa que a interpreta.