Nenhum mar calmo torna um marinheiro um especialista

Nenhum mar calmo torna um marinheiro um especialista

Se alguma vez parou para admirar o mar, certamente já pensou que é um daqueles lugares que pertencem a todos e a ninguém. O mar é aquele eco da vida que ora se deixa acariciar e ora se esvai.

Quando está calmo, qualquer marinheiro sente que pode se deixar levar e, então, relaxa e contempla sua beleza. Desta posição não há perigo, você pode desfrutar apenas de uma plácida tranquilidade.

Porém, em outras ocasiões, as ondas quebram com força nas rochas e a tempestade derrama sua raiva no mar. O marinheiro sobrevivente é aquele que deixa o conforto de lado e decide enfrentar aqueles momentos terríveis que ameaçam sua casa, já que aqueles que decidem se jogar nas águas turbulentas devem estar preparados para enfrentar sua raiva.



Algo semelhante acontece na vida terrestre, já que o experiências e os ensinamentos que deixam vêm sobretudo para aqueles que conseguem sair da sua zona de conforto: deixar o conforto de lado e enfrentar o desconhecido é, sem dúvida, um incentivo à vida.

menina loira entre as folhas

Na verdade, normalmente não nos julgamos responsáveis ​​pelo que nos acontece, porque preferimos confiar nas mãos da sorte ou do destino. Quando nos acostumamos com a rotina, sentimos que nada pode mudar e, em vez disso, estamos errados.

“A vida é como atravessar o mar: há dias de calmaria e dias de tempestade; o importante é saber ser bons capitães do seu navio. '-Jacinto Benavente-

Estamos errados porque, permanecendo na nossa zona de conforto, perdemos a oportunidade de continuar a amadurecer e aprender. Precisamos vivenciar um naufrágio para aprender a amadurecer: ver a força do vento, enfrentar a realidade, ir mais longe para tocar o anima o que nunca tínhamos tocado ou imaginado.

A sensação de segurança

A sensação de segurança que sentimos quando alcançamos o equilíbrio pode ser um grande inimigo emocional, sobretudo porque é o que nos faz temer perdê-lo.

É evidente que tudo o que, direta ou indiretamente, quebra nossos esquemas, nos faz medo . No entanto, não se esqueça disso medos são feitos para serem dominados e não para dominar.

barco carregado por borboletas

Conhecer a segurança significa dar um passo importante, mas ousar verificar as leis de um mar tempestuoso é um sinal de coragem: só quem se aventura numa busca sem limites pode ter destreza em todas as situações possíveis da vida.

Não correr riscos não fará você perder, mas também não vai ganhar

Como dissemos, não correr riscos na tomada de decisões que nos permitem descobrir coisas novas pode nos levar à passividade e não agir, simplesmente porque assim evitamos o fracasso; no entanto, as chances de triunfo também são eliminadas.

'Só aqueles que se arriscam a ir muito longe descobrirão realmente até onde podem ir.' -T. S. Eliot-

O ser humano tende a exercer controle e manter o equilíbrio diário, pensando que é aí que reside o bem-estar emocional que te faz feliz. Desta forma, esquecemos que o crescimento psicológico também requer um risco: como você pode conseguir isso trabalhos o que você quer tanto se não tentar? Pensar que não vai conseguir e ficar parado permitirá que você controle a situação, evitando a satisfação.

menina entre flores de cerejeira

Muitas vezes acreditamos que é melhor manter o que você já tem sem nunca tentar nada de novo, sem entender que, inconscientemente, isso nos incentiva a permanecer estáticos e a não lutar pelo que queremos.

É o marinheiro sabe que até o mar calmo pode levar à morte, mas enfrentá-lo é a única maneira de aproveitar plenamente a vida e manter o que resta após essas experiências.

cuando la ignorancia se esparce y roe