Superando um luto: como entender que você teve sucesso

Superando um luto: como entender que você teve sucesso

Nem sempre é fácil entender se alguém foi capaz de superar uma perda. A reação psicológica à perda pode ainda estar inacabada e agir como uma ferida infectada, como uma lesão camuflada que preenche nossa vida de condicionamentos, de limitações. Portanto, é necessário reconhecer as pistas do luto não resolvido.



Por 'luto', entendemos qualquer evento vital que envolva o desapego de algo ou alguém significativo para nós. Pode ser a perda de um ente querido, um pausa afetiva, perder o emprego ou até mesmo deixar para trás um papel que nos identificou e nos fez sentir realizados. Tal acontecimento pressupõe sobretudo o desaparecimento abrupto de um vínculo e a extinção de uma realidade emocional que somos obrigados a reconstruir.

“Quando a dor é recente, qualquer tentativa de se distrair é irritante. Você tem que esperar até que a dor seja digerida, momento em que a diversão vai dissipar o que resta dela. '





otro lugar en el texto mundial

-Samuel Johnson-



Quando questionados sobre qual a melhor forma de superar o luto, pode-se responder que não existe uma estratégia universal. Cada pessoa reage de maneira diferente e essa é certamente a maior dificuldade. Não podemos recomendar uma série de técnicas 'normativas' que podem servir a todos nós, porque não há nada tão privado, confuso e caótico de dor para alguém perdido .

No entanto, não podemos ignorar um detalhe: a capacidade de resiliência do ser humano é imenso. Embora nunca possamos preencher completamente o vazio dessa perda, seremos capazes de viver com ela. Podemos até nos dar ao luxo de ser felizes novamente, embora primeiro tenhamos de lidar eficazmente com e superar nossa dor pessoal.

Flor em um tronco

Não supere um luto: sinais

Por mais estranho que possa parecer, existe sofrimento privado e quase invisível em nossa sociedade. É aquele luto às vezes não autorizado . Um exemplo é o de mães que abortam , um evento traumático para o qual muitas mulheres, sem dúvida, requerem suporte especializado muitas vezes ausente nos hospitais.

As crianças também fazem parte desse coletivo nem sempre entendido. Muitas crianças vivem o luto em silêncio em um ambiente que ainda pensa que, pela idade, não entendem o que é a morte. Por outro lado, deve-se notar que os homens também costumam fazer parte desse luto não autorizado.

Em muitos países a figura do homem continua a ter aquele papel racional e protetor em que se espera que ele não expresse abertamente sua dor emocional . Muitas vezes, essa concepção dificulta o processo de reconstrução após uma perda, às vezes a ponto de tornar crônico aquele estado de desamparo que é preciso intuir e, claro, tratar.

Vamos ver, portanto, quais sintomas podem indicar que ainda não passamos por um luto.

Menino agachado, triste durante o período de luto

Ainda não podemos falar sobre a pessoa que perdemos

Um momento decisivo deve ocorrer em todo processo de luto. É aí que finalmente nos abrimos. É aquele momento em que temos que falar com alguém sobre o relacionamento perdido, aquela pessoa ou aquela situação complexa que deixamos para trás. Falar, expressar, relembrar, trazer certas memórias para o presente traz alívio e conforto, e também promove a liberação emocional.

Se vários meses e anos se passaram e ainda não podemos falar sobre essa pessoa, a dor ainda não acabou. Se percebermos uma parede, um nó na garganta e nos recusarmos a devolver esse fato ou aquela pessoa significativa ao memória , devemos pedir ajuda profissional.

Fatos que desencadeiam reações emocionais excessivas

A pessoa aparentemente pode levar uma vida normal. No entanto, reações emocionais repentinas podem aparecer em sua vida diária que ninguém consegue entender. Às vezes, um objeto, uma música, uma situação específica, atua como um gatilho para a memória.

perdita memoria a breve termine sindrome

Dor não resolvida de repente surge quando a porta para aquele passado é aberta, onde há o vazio da perda , ainda presente como uma ferida aberta.

cuando se pierde la dignidad?

Mudanças constantes no estilo de vida

Outro fato óbvio que indica que um luto não pôde ser superado é a necessidade constante de fazer mudanças. Algumas pessoas ficam impossibilitadas de manter o mesmo emprego por mais de dois meses. Amigos, hobbies e até mesmo interesses mudam. Nada satisfaz ou alivia e tudo acaba chato . A busca por coisas novas que nos façam esquecer é quase constante.

Homem costas com costas superando um luto

Mudanças de humor

Não superar um luto muitas vezes leva a pessoa a momentos alternados de euforia com momentos de isolamento e grande apatia . Oscila entre a necessidade de estar rodeado de gente e a procura de solidão e recolhimento pessoal. Todos esses são sinais óbvios de luto disfarçado que reduzem a qualidade de vida da pessoa.

Comprovante Vale ressaltar que em muitos desses casos é comum o diagnóstico de depressão subclínica. É um transtorno em que não existem critérios clínicos para depressão maior ou depressão menor ou distimia, porém o esgotamento emocional é evidente.

Como entender que você superou a dor?

Até agora vimos todos os sintomas mais ou menos camuflados que indicariam que nossa perda ainda está muito presente. O suficiente para condicionar nossa vida, limitá-la e nos deixar presos em um estado de sofrimento crônico. Além disso, muitos desses sintomas acabam dando origem a distúrbios psicológicos que reduzem ainda mais nossa possibilidade de progredir. , para nos permitir ser felizes novamente.

Devemos entender que devemos dar ao cérebro tempo para se adaptar a uma realidade que mudou abruptamente e até mesmo de forma injusta. . E para isso, neste período de transição que pode durar meses e anos, nosso ambiente, nossa atitude e até mesmo bons profissionais nos ajudarão a trabalhar as questões marcantes e particulares de nosso luto.

Mulher com bolas

Entre as pistas que nos ajudam a entender que uma pessoa conseguiu superar um luto estão:

  • Pode falar normalmente sobre a pessoa perdida. Ela se permite ficar excitada ou até chorar, mas o faz com aceitação.
  • Ele estabelece para si novos objetivos vitais.
  • Crie um espaço dentro de você para a pessoa em questão. Longe de deixá-lo para trás, ele o guarda como um bem precioso a ser integrado à sua própria realidade, mas sem depender dela. Ele se lembra dela com amor e carinho, mas sem deixar a dor bloqueá-la.
  • Ele se abre para o que o rodeia. Ele diz 'sim' à possibilidade de conhecer novas pessoas, para expandir o seu próprio relacionamentos e deixe que emoções positivas a envolvam sem pesar sobre a consciência ou culpa.

A felicidade que hoje nos permitimos viver pode ser uma boa homenagem às pessoas que já não existem, mas que vivem bem protegidas nos nossos corações.

Terapia do luto: como enfrentar o adeus

Terapia do luto: como enfrentar o adeus

Às vezes, o luto se torna crônico e se transforma em um problema sério. Portanto, é necessário recorrer à terapia do luto.